dakate

Monday, August 21, 2006

Figuras de estilo (linguagem)

A figura de estilo é uma linguagem artística que não procura só a comunicação, mas também a emoção.
Toda vez que uma palavra ou expressão for utilizada conotativamente com o objetivo de realçar uma idéia ou emoção, ocorre uma figura de estilo.
Elas devem dar mais força à expressão, mais beleza à frase, mais leveza ou gravidade ao discurso, sem esquecer a clareza do pensamento. Devem tornar a linguagem ordinária mais expressiva.
Alguns se referem à construção da frase, à posição, à ordem das palavras (silepse, anáfora...), outras ao sentido delas (metáfora, hipérbole, metonímia...), outras à idéia, ao pensamento (ironia, antítese, apóstrofe...).



Temos 175 figuras de estilo diferentes, mas vamos postar aqui algumas das mais pedidas nos vestibulares e concursos.



Gradação: emprego de uma seqüência de palavras em sentido crescente ou decrescente.
Ex.: Meu caro, para mim, você é um simples roedor. Que digo? Um verme... Menos que isso! Uma bactéria! Um vírus!...



Polissíndeto: repetição de uma mesma conjunção (principalmente "e", "ou" ou "mas") mais vezes que o necessário, é muito utilizada na bíblia. Esse recurso é usado para tornar o discurso mais lento.
Ex.: Vim e vi e venci.(Júlio César)



Assíndeto: ao contrário do possíndeto, essa figura não necessita de conjunção. No lugar da conjunção usa-se a vírgula e nos transmite a ideia de insistência energética, rapidez e força.
Ex.: Vim, vi, venci. (Júlio César).



Anáfora: Repetição de uma palavra a espaços regulares durante o texto.
Ex.: Grandes pensadores, grandes obras, grandes resultados.Então observamos que a palavra grande se repetiu varias vezes.



Onomatopéia: Representação de algo por meio do som de uma palavra ou expressão.
Ex.: Não consegui entender a explicação por causa do zumzumzum da classe.Veja que neste caso o som das palavras é representado pela expressão “zumzumzum”.



Perífrase: Expressão que decifra um ser por uma de suas característica ou atributas, ou por um fato que celebrizou.
Ex.: O ouro negro jorrava das entranhas da terra.O mal de Lázaro é uma doença já controlada.



Sinestesia: Consistem na mistura de sensações, impressões percebidas por diferentes órgãos do sentido humano.
Ex.: Que olhar doce!Aquele doce sorriso me animou.



Catacrese: é o emprego de um termo figurado por falta de um específico, para dar nome o determinadas coisas que necessitam de designação. É o uso da metáfora forçada.
Ex.: Os braços da poltrona são macios.O pé da mesa.



Antítese: consiste em idéias ou palavras com sentido oposto. Esse recurso foi especialmente utilizado pelos autores do período Barroco. Serve, essencialmente, para dar uma ênfase aos conceitos envolvidos que não se conseguiria com a exposição isolada dos mesmos.
Ex.:Ӄ nunca contentar-se de contente,
É cuidar que se ganha em se perder...” ( Luís de Camões)



Apóstrofe: interrupção para invocar alguém ou alguma coisa. Nas orações religiosas é muito frequente. No discurso político é também muito utilizado, já que cria a impressão, entre o público, de que o orador está a dirigir-se directamente a si, o que aumenta a receptividade.
Ex.: “ Senhor Deus dos desgraçados!
Dize-me vós, senhor Deus!” (Castro Alves)



Ironia: empregos de palavras que dizem o contrário do que se pensa, a fim de criticar, ironizar. A intenção é, geralmente, depreciativa ou sarcástica, embora o sarcasmo tenha um tom mais agressivo.
Ex.: Você está bem levinho com seus 120Kg.



Eufemismo: é o emprego de termos mais agradáveis para suavizar as expressões.
Ex.: Não anda bem da cabeça.(em lugar de: está maluco)



Metáfora: é o emprego de um termo por outro, dada relaçao de semelhança ou a possibilidade de associação entre eles. Nela não aparece a conjunção comparativa.
Ex.: O rapaz é um touro.



Elipse: ausência de uma palavra facilmente subentendida. Geralmente, o contexto em que se insere a frase dá ao receptor da mensagem todas as informações necessárias para a compreensão do enunciado.
Ex.: Sairão à noitinha(eles ou elas)



Zeugma: também é uma ausência de um termo ja expresso anteriormente para evitar a repetição do mesmo.
Ex.: Você chegou. Ela não(chegou).

2 Comments:

  • At 4:58 PM, Blogger Carlos said…

    Uau, até fiquei sem fôlego! Contudo, tenho uma curiosidade. Ficaste até as quase 5 da manhã? É isso? Se for, precisaremos conversar. Não quero "esfolar" nenhum aluno com trabalhos que não possam ser feitos em horário adequado.

     
  • At 7:07 PM, Blogger dakate said…

    não. Não fiquei até as 5 hrs da manhã!!!
    Fiquei mais ou menos até 22:00.
    Não esquenta não q o senhor não está "esfolando" ninguém não
    (risos)

     

Post a Comment

<< Home